Nova Toyota Hilux anda como carro de passeio e parte de R$ 114.860

A Toyota começa a apresentar, nesta quinta e sexta-feira (5 e 6), em Mendoza (Argentina), a nova geração da picape Hilux para o mercado b...


A Toyota começa a apresentar, nesta quinta e sexta-feira (5 e 6), em Mendoza (Argentina), a nova geração da picape Hilux para o mercado brasileiro. Fabricada desde outubro em Zárate (a 90 quilômetros de Buenos Aires), o modelo só deve ter sua operação de entrega às lojas nacionais coloca em carga plena em janeiro. UOL Carros adianta, do Japão, a principal característica do novo modelo: andar suave como carro de passeio.

Os preços para o Brasil acabam de ser divulgados: houve redução no total de versões (de dez para seis), com aumento de preços (11% na versão chassi com cabine simples, de entrada e voltada ao trabalho; 3% na versão topo de gama, com cabine dupla). Configurações e valores são os seguintes:

- Hilux 4x4 D/C Chassi 2.8 TDI (seis marchas manual): R$ 114.860

- Hilux 4x4 D/C Cabine Simples 2.8 TDI (seis marchas manual): R$ 118.690

- Hilux 4x4 D/C STD 2.8 TDI (seis marchas manual): R$ 130.960

- Hilux 4x4 D/C SR 2.8 TDI (seis marchas automático): R$ 162.320

- Hilux 4x4 D/C SRV 2.8 TDI (seis marchas automático): R$ 177.000

- Hilux 4x4 D/C SRX 2.8 TDI (seis marchas automático): R$ 188.120

Mudanças de plataforma e acabamento, mas principalmente de motor (sobretudo a unidade a diesel), câmbio e suspensão são responsáveis pela mudança de hábito tanto da Hilux, quanto do SUV derivado SW4, que agora tem visual divergente em relação à picape e será apresentado ao brasileiro ao longo de 2016. Ambos foram desenvolvidos pela equipe da Toyota da Austrália/Ásia (Tailândia e Indonésia) e lançados globalmente no começo deste segundo semestre.

"Nossa principal preocupação no desenvolvimento da nova geração da Hilux, como também do novo SW4, foi como melhorar a dirigibilidade e a sensação de conforto a bordo da cabine", explicou Hiromi Nakajima, gerente de produto da Toyota, em entrevista exclusiva durante evento paralelo ao Salão de Tóquio. "Conseguimos deixar o motor [a diesel] mais suave e reduzir a sensação de que o conjunto está batendo, aquele ruído perceptível mesmo em baixas rotações", completou.

Esta sensação contribui, ao longo de uma viagem, para maior cansaço do motorista. É também um dos pontos baixos de picapes e SUV montados sobre chassis, que cada vez mais perdem espaço para modelos monobloco. O ponto da discórdia foi sempre a falta de capacidade de carga dos últimos, mas os números de vendas têm provado que -- tirando empresas da conta -- cada vez menos consumidores ligam para força no reboque ou no uso de tração em trilhas (o número esbarra em 98%).

 

Matérias relacionadas

destaque 3189280961077159631

Postar um comentário

emo-but-icon

Rádio Cidade Mix Ao vivo


(Clique no play para ouvir)

Curta nossa Fanpage

WhatsAPP BLOG ELIAS PUBLICIDADES

WhatsAPP BLOG ELIAS PUBLICIDADES

Parceiros

Brasileirão 2016

http://globoesporte.globo.com/futebol/brasileirao-serie-a/

Grande Serra

Grande Serra

CSB

CSB
A FABRICA DE EVENTOS

Total de visualizações de página

Apoio Secretário de Agricultura

Apoio Secretário de Agricultura
Cleiton Beijamim

Vereador Arnaldo de Zé de Bia

Vereador Arnaldo de Zé de Bia
item