Aos 95 anos, tapioqueira afirma: 'eu só paro de trabalhar quando morrer'

Dona Maria vende tapioca no mesmo ponto, há quase 60 anos, em Caruaru.  Com bom humor, conta a história de vida e ensina a receita da comid...

Dona Maria vende tapioca no mesmo ponto, há quase 60 anos, em Caruaru. 
Com bom humor, conta a história de vida e ensina a receita da comida típica.

Maria Anunciada de Souza Caruaru  (Foto: Thays Estarque/ G1)
Na esquina da Rua Dácio Espácio de Lima com a Praça Teotônio Vilela, em Caruaru, Agreste de Pernambuco, uma senhora de 95 anos vende há 58 uma das comidas mais típicas do São João nordestino: a tapioca. Maria Anunciada de Souza, dona Maria como gosta de ser chamada, conta a história de superação e independência entre uma divertida gargalhada e a receita da guloseima.
Dona Maria, que é de Cacimbinhas (AL), chegou ao município pernambucano para trabalhar como empregada doméstica, porém a oportunidade durou pouco. "Trabalhava muito e ganhava pouco, mas era meu trabalhinho. Quando acabou, fiquei sem saber o que fazer. Não conseguia mais ter minhas coisinhas", relembra. Já viúva e com uma filha pequena, a ideia de vender tapiocas surgiu quando visitava a Feira de Caruaru. "Comecei vendendo cocada, mas percebi que as tapioqueiras ganhavam mais. Foi a forma que encontrei para sustentar minha família. Todo mundo gosta de tapioca, né?".
Encarregado de trocar o dinheiro que dona Maria ganha, o cabeleireiro Antônio Vicente, de 50 anos, diz que é o grande amigo dela. "Sou o companheiro de noitada. Sempre a ajudo a recolher a barraquinha, dou apoio, converso e quando está doente vou à casa dela para ver como está. Viramos grandes amigos".
Cliente há 20 anos de dona Maria, José Carlos Ferreira, de 59, diz que todos no bairro a adoram. "O carinho por ela é muito grande. As tapiocas são uma delícia e fazemos questão de comprar para ajudá-la", relata.
"É uma lição de vida. Ela é uma estimada figura de Caruaru. A gente sente a felicidade dela em trabalhar", comenta a dona de casa Josélia Oliveira da Silva, de 48 anos. Moradora do Rio de Janeiro há 35 anos, a caruaruense Maria José Oliveira, 57, não acreditou na idade da tapioqueira. "É impressionante encontrar uma pessoa nessa idade ainda trabalhando. É um exemplo".
Tapioqueira Maria Anunciada de Souza, de Caruaru, Agreste (Foto: Thays Estarque/ G1)
G1 Elias Publicidades

Postar um comentário

emo-but-icon

Rádio Cidade Mix Ao vivo


(Clique no play para ouvir)

Curta nossa Fanpage

WhatsAPP BLOG ELIAS PUBLICIDADES

WhatsAPP BLOG ELIAS PUBLICIDADES

Parceiros

Brasileirão 2017

https://www.tabeladobrasileirao.net/serie-a/widgets/

Grande Serra

Grande Serra

CSB

CSB
A FABRICA DE EVENTOS

Total de visualizações de página

Apoio Secretário de Agricultura

Apoio Secretário de Agricultura
Cleiton Beijamim

Vereador Arnaldo de Zé de Bia

Vereador Arnaldo de Zé de Bia
item